O que é MEI: diferença MEI e ME, quem pode ter e vantagens 

Os brasileiros estão empreendendo cada vez mais! Saber o que é MEI pode te ajudar nessa. A regularização da empresa é um dos passos mais importantes para garantir que seu negócio trará bons resultados a longo prazo e que todo investimento valerá a pena. Ter uma empresa pode te ajudar a conquistar mais clientes e melhorar seus retornos financeiros, afinal, com um CNPJ e a emissão de nota fiscal, você transmitirá muito credibilidade no mercado.  

 Se você tem um negócio próprio ou está pensando em trabalhar como autônomo, mas ainda não sabe o que é MEI, neste artigo nós vamos te explicar tudo o que é importante entender. O assunto pode parecer burocrático para quem não faz parte deste universo, mas com essas informações você saberá o que precisa fazer e quanto deverá investir para se tornar um MEI.  

 

O que é MEI empresa? 

MEI é uma sigla para Microempreendedor Individual, um profissional autônomo que se regulariza para atuar como pequeno empresário. O ano de 2020 foi um marco para esses profissionais, que impulsionados pela pandemia e pela popularização das vendas pela internet, conseguiram colocar em prática o sonho do negócio próprio. Das mais de 3,3 milhões de empresas abertas, cerca de 2,6 milhões são MEI. O número representa um aumento de 8,4% em comparação a 2019. O Brasil conta hoje com mais de 11,3 milhões de MEIs ativos. 

 O MEI é o tipo de empresa mais simples e foi criado em 2009 com o objetivo de permitir que o pequeno empresário tenha acesso a um CNPJ sem precisar investir muito tempo e dinheiro para isso. Naquele tempo, havia a necessidade de tirar da informalidade profissionais autônomos e pequenos empreendedores, então essa foi uma forma de lidar com essa questão. 

 Ao se formalizar como MEI, o empreendedor passa a ter um CNPJ próprio, o que permite a emissão de notas fiscais e dá acesso aos benefícios da Previdência Social. Mas, atenção: como é um modelo empresarial simplificado, o limite de faturamento anual não pode passar de R$ 81 mil por ano. 

 

Quem pode abrir uma empresa tipo MEI? 

O que é MEI é alguém que trabalha por conta própria em atividades não regulamentadas por entidades de classe, como por exemplo: manicure, eletricista, encanador, artesão, motoboy, além de outras profissões como: redatores, designers, consultores de marketing digital ou tecnologia, analista de dados, desenvolvedores, profissionais de tecnologia (t.i.) em geral, contadores e várias outras profissões. 

Para se tornar um Microempreendedor Individual você pode selecionar até 16 atividades diferentes cadastradas em seu CNPJ, marcando uma atividade principal e outras quinze como atividades secundárias. 

Para você entender melhor: 

  • Atividade principal: CNAE: 5912-0/99 — Atividades de pós-produção cinematográfica, de vídeos e de programas de televisão não especificadas anteriormente 
  • Atividade secundária: CNAE: 5911-1/02 — Produção de filmes para publicidade 

Percebe como são atividades relacionadas, mas com ordens de importância diferentes? Isso irá variar de acordo com sua rotina de trabalho. O registro de Microempreendedor Individual só pode ser obtido se a sua área de atuação estiver na lista da categoria oficial. Acesse o site da Receita Federal para confirmar se a sua atividade pode ser considerada na hora de abrir seu MEI. 

 Entre as características para ser MEI estão:  

  • Faturar até R$ 81.000,00 por ano ou R$ 6.750,00 por mês; 
  • Ter no máximo um funcionário contratado que receba salário mínimo ou o piso da categoria; 
  • Não ser sócio, administrador ou titular de outra empresa. 

 

Quem NÃO pode ser MEI? 

Ser MEI é muito fácil, mas nem todos os profissionais podem se tornar um Microempreendedor Individual. 

 Aqui estão alguns fatores que não permitem a regularização:  

  • Receber o Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social/Lei Orgânica de Assistência Social (BPC/LOAS), ou o seu tutor; 
  • Ser aposentado por invalidez; 
  • Executar construção de imóveis e obras de engenharia em geral, como projetos e serviços de paisagismo e decoração de interiores; 
  • Ser pensionista e servidor público federal em atividade. Nesses casos, os critérios podem variar de acordo com as respectivas legislações, estaduais ou municipais; 
  • Ser estrangeiro com visto provisório; 
  • Ser titular, sócio ou administrador de outra empresa. 

 Alguns casos são exceção para quem deseja se tornar MEI. 

 Por exemplo:  

  • Trabalhador que recebe seguro-desemprego que se formalizar pode ter o benefício suspenso; 
  • Trabalhador que recebe aposentadoria por invalidez ou é pensionista por invalidez; 
  • Trabalhador registrado no regime CLT pode se tornar MEI, mas em caso de demissão sem justa causa ele não terá direito ao seguro-desemprego; 
  • Trabalhador que recebe auxílio-doença pode ser formalizado, mas o benefício é perdido partir do mês da formalização; 
  • Beneficiário do BPC-LOAS que se formalizar como MEI não perderá o benefício de imediato, mas passará por uma nova avaliação do Serviço Social; 
  • Beneficiários do Bolsa Família não são excluídos do programa se se registrarem como MEI, a não ser que haja aumento na renda familiar acima do limite permitido. 

 

Quanto custa ter uma empresa MEI? 

Quem busca saber o que é MEI costuma ficar feliz ao perceber que os valores são acessíveis. O procedimento para abrir uma empresa MEI é gratuito. Você terá que fazer apenas o pagamento do Simples Nacional, que é de R$56,00 para Comércio ou Indústria, R$60,00 para Prestação de Serviços e R$61,00 para Comércio e Serviço juntos. 

 O recolhimento dos impostos para empresa tipo MEI é facilitado e realizado em uma única guia de pagamento, chamada de DAS MEI. O cálculo corresponde a 5% do limite mensal do salário mínimo e mais R$1,00, a título de ICMS, caso seja contribuinte desse imposto e/ou R$ 5,00 (cinco reais), a título de ISS, caso seja contribuinte desse imposto. O pagamento pode ser feito por meio de débito automático, online ou emissão do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS) – o que for melhor para você. 

 

Endereço Fiscal e Comercial para MEI 

Endereço fiscal, também chamado de domicílio fiscal, é o local que você indica na documentação da empresa para dar referências para questões ligadas ao fisco, ou seja, questões do governo. Por exemplo, o endereço fiscal é utilizado no registro na Junta Comercial, endereço na Receita Federal, contrato social 

 Não é necessário que ele seja o endereço de onde sua empresa de fato opera. Até porque muitas atividades não precisam de um lugar fixo para poder existir! 

 Já o endereço comercial é aquele utilizado para divulgar a sua empresa nas redes sociais, no Google, no seu site, em cartões de visita, panfletos… Ambos os endereços são extremamente importantes para o seu negócio e não é recomendado que você utilize o endereço da sua casa ou o endereço do seu escritório de contabilidade. 

 Sabia que é possível ter um Endereço Fiscal e Comercial para MEI sem precisar alugar uma sala comercial? Exatamente! Esse tipo de solução é chamada de Escritório Virtual e o Espaço Certo. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Olá, como podemos lhe ajudar?