Produtividade no Trabalho Remoto: fazer pausas de forma errada está sabotando o seu trabalho? 

O conceito de produtividade se relaciona com o rendimento na produção e a sua eficiência. Geralmente, é entendido como a capacidade de gerar mais resultados utilizando menos recursos. Na prática, é comum associar o conceito ao aumento das entregas em um período mais curto.   

 Ao mesmo tempo, no trabalho, o tempo de dedicação e o cumprimento de jornada ainda é bastante valorizado. Mas será que é realmente necessário manter uma carga horária elevada, com trabalho constante ou sem folgas? Na verdade, fazer pausas de forma errada — ou não fazê-las — pode prejudicar os resultados.  

 Para entender melhor os motivos e como a produtividade no trabalho remoto pode ser prejudicada com pausas erradas, continue lendo este post! 

 

Por que as pausas são importantes no trabalho remoto? 

A produtividade na era do trabalho híbrido se tornou uma preocupação entre as empresas. A falta de controle total sobre a jornada é incômoda para alguns gestores. Porém, ao mesmo tempo, a dedicação contínua e ininterrupta não é tão benéfica quanto parece e começou a se tornar mais perceptível com o trabalho a distância.  

 Ou seja, é preciso ter equilíbrio. Afinal de contas, as pausas no trabalho, especialmente no remoto, são benéficas para os colaboradores e podem potencializar o bem-estar. Para entender por que isso acontece, vale entender a importância das pausas na rotina. Confira os pontos de atenção: 

 

Os intervalos ajudam no foco e na concentração 

Existem pesquisas que comprovam que o corpo humano funciona em um sistema que gasta energia e precisa de uma reposição em seguida, exigindo pausas mais frequentes. O tema, inclusive, foi alvo de uma publicação na Forbes. Nesse caso, a ideia central é que as folgas ajudam a evitar a fadiga que surge quando há uma concentração prolongada em certa tarefa.  

 A teoria é a mesma que explica a técnica pomodoro, que consiste em períodos de foco seguidos por pequenos intervalos, em blocos de dedicação e descanso. Após quatro ciclos, é feita uma pausa mais longa. Após os descansos, a mente fica mais relaxada e consegue retornar ao trabalho com foco. Assim, é possível manter um ritmo equilibrado. 

 Por outro lado, quando o corpo e a mente lidam com horas ininterruptas de trabalho, o cansaço tende a se sobressair. O resultado disso é que a produção se torna mais lenta, prejudicando os resultados obtidos. Ou seja, é essencial compreender que a produtividade não tem a ver com horas de dedicação ininterruptas, mas com uma boa gestão do tempo.  

 

A falta de pausas gera dificuldades para se desligar do trabalho 

O trabalho prolongado e ininterrupto pode fazer com que seja mais difícil se desligar das atividades nos momentos de folga. Como consequência, os momentos de relaxamento e descanso após o término da jornada podem ser envolvidos pelos pensamentos relacionados à empresa.Isso ocorre porque o cérebro não se desliga durante o dia, acumulando estresse e fadiga. 

 Por isso, ao término do trabalho, fica mais difícil desligá-lo, o que pode gerar um “efeito bola de neve” que aumenta o cansaço. Entretanto, quando são feitas pausas regulares durante a jornada, o cérebro tem tempo para assimilar as informações e encontrar meios de lidar com as tensões. Assim, ao fim do dia, é possível ter menos estresse e melhorar a qualidade do descanso. 

  

Fazer pequenas pausas evita a fadiga de decisão 

Nem sempre percebemos, mas a nossa rotina de trabalho envolve diversas decisões, ainda que pequenas. Qual será a próxima atividade? Qual é a melhor ordem de tarefas? Como responder os e-mails e outras comunicações recebidas? Cada escolha, ainda que simples, exige maior atividade cerebral, o que tende a aumentar o cansaço. 

 Quando o trabalho conta com pausas frequentes, é possível descansar a mente dessa sobrecarga causada pelas diversas pequenas decisões que são tomadas ao longo do dia. Entre os benefícios, podemos destacar o aumento do foco e da qualidade do trabalho, além da redução de erros. Afinal, com o cansaço excessivo, as chances de cometer enganos, que geram retrabalhos e outros problemas, são maiores.  

 

Quais são as práticas que podem dificultar a produtividade? 

No tópico anterior, foi possível perceber que as pausas são relevantes para o trabalho e de que maneira elas podem prejudicar a produtividade. No entanto, considerando a importância do regime remoto, também é necessário compreender quais são os intervalos que não trazem efeitos benéficos, o que envolve o conceito de pausa produtiva. 

 Obviamente, podem existir momentos de procrastinação, que não trazem o relaxamento necessário para que seja considerado uma folga. Por exemplo, verificar uma rede social, fazer compras, desabafar com colegas, responder e-mails ou se expor a situações que trazem outros tipos de estresse e gasto de energia pode ser prejudicial, mesmo que, no momento, ofereça uma sensação de descanso.  

 Dessa maneira, vale a pena conhecer medidas que promovam um descanso real. Na empresa, você pode fazer perguntas aos colegas para entender quais são as dificuldades enfrentadas por eles. A partir disso, também é possível compartilhar boas práticas e promover uma rotina com pausas produtivas e que beneficiem a equipe.  

 

Como otimizar a rotina e a produtividade no trabalho remoto? 

 Depois de entender os erros comuns e como a falta de pausas pode ser prejudicial, vale a pena conhecer algumas boas práticas. Fazendo isso, é possível otimizar a sua rotina e dar dicas para auxiliar os funcionários nessa conquista. Alguns pontos relevantes que podem ser observados considerando o contexto de produtividade no trabalho remoto são:  

  • Saia do ambiente: deixe o espaço de trabalho no home office, indo para outro cômodo ou apenas se afastando do computador; 
  • Aproveite para conversar: interaja com pessoas próximas para relaxar — em um coworking, por exemplo, se relacione com as outras pessoas. Você também pode brincar com os filhos ou falar com um amigo;  
  • Medite: essa prática ajuda a esvaziar a mente, relaxar e limpar o cérebro; 
  • Alongue-se: trabalhar no computador por horas pode gerar certo desconforto. Logo, os alongamentos são importantes para relaxar, melhorar a circulação e trazer outros benefícios para o corpo; 
  • Faça o que você realmente gosta e deseja fazer: a ideia é relaxar. Por isso, o momento deve ser agradável e alinhado ao que você precisa. 

 Agora que você já sabe mais sobre a produtividade no trabalho remoto e o papel das pausas na otimização dos resultados, vale a pena reavaliar a rotina. Afinal, os intervalos são relevantes para o desempenho, mas devem ser feitos de maneira correta para trazer os efeitos desejados.  

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Olá, como podemos lhe ajudar?