Como Microempreendedores Podem Fazer Um Networking Eficiente

Um bom networking é capaz de abrir portas e proporcionar diversas oportunidades. Desde a melhoria de projetos ao surgimento e criação de novas ideias, como também a resolução de problemas e assistência a necessidades comerciais. A busca por clientes, fornecedores e colaboradores pode ser cansativa, por isso, cultivar uma rede de contatos – e amigos – de maneira eficiente pode influenciar positivamente no sucesso do seu negócio, especialmente para microempreendedores! Quer saber o motivo? Fique atento à leitura!

Ao se tornar um microempreendedor, o profissional garante o direito à cobertura previdenciária do INSS e passa a ter o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), logo, consegue emitir notas fiscais, contratar um funcionário e abrir conta bancária como empresa. Mas, apesar dos vários benefícios, empreender está longe de ser uma tarefa simples. Por essa razão, ter um bom networking ativo e eficiente é fundamental na busca pelo crescimento do seu negócio.

Você sabe o que é networking?

Networking nada mais é que o exercício de cultivar uma rede de contatos. É uma forte tendência de comportamento entre empreendedores que, dentro e fora da internet, mostra sua relevância no desenvolvimento dos negócios. O termo vem do inglês, com a junção das palavras net = rede e work = trabalho. Entretanto, as relações não são – e nem devem – ser superficiais ou apenas por interesse, muito pelo contrário! A troca de conhecimentos é indispensável no networking, assim como uma boa convivência, portanto, aproximar-se de pessoas com objetivos semelhantes é a chave para criar uma relação de sucesso.

Apesar de o networking ser uma atividade muito comum na internet, engana-se quem pensa que a única forma de fazê-lo seja essa, já que as possibilidades são inúmeras! Eventos da sua área de atuação, cursos, reuniões com amigos, viagens e principalmente o local de trabalho, seja ele um escritório convencional ou um coworking, podem proporcionar o crescimento da sua rede de negócios.

Afinal, como fazer um networking eficiente?

O primeiro passo para garantir conexões sólidas e promissoras nos negócios é ter em mente um objetivo, saber o que você busca nas pessoas e deseja para a sua empresa. Pode ser um novo sócio, um colaborador para a área financeira, encontrar um novo cliente em potencial ou até mesmo descolar um fornecedor diferente. Mas, lembre-se, contatos sem uma relação são apenas contatos! Aqui vão as principais dicas para criar um bom networking:

  • Seja visto: participe de eventos e reuniões, troque ideias no coffee break e esteja ativo nas redes sociais.
  • Qualidade é melhor que quantidade: não deixe que os números sejam o foco da sua rede de contatos! Descubra que tipo de profissional combina com a sua empresa e o que vocês podem ensinar uns aos outros.
  • Invista no visual: como microempreendedor, você pode ser a cara da sua empresa. Por esse motivo, vale a pena dar uma atenção maior para a sua imagem, como vestir-se com personalidade, se comunicar bem e dar um up na vitrine das redes sociais.
  • Seja útil: trabalhar em um espaço compartilhado é uma grande oportunidade de criar laços com seus coworkers. Como? Trabalhando juntos! Ofereça ajuda, troque ideias, aconselhe e proponha parcerias entre vocês. Esteja disposto e mostre como você pode ajudar.

Preservar uma rede de contatos capaz de somar no desenvolvimento da sua empresa pode trazer diversos benefícios, e entre eles está a diversidade. O assunto está em alta no momento, alcançando desde empresas já consolidadas no mercado, até startups e pequenas empresas. Trabalhar com uma equipe diversa possibilita o acesso a diferentes perspectivas de negócios, histórias de vida e planos de carreira. Além de aproximar profissionais com realidades distantes, expandindo horizontes e conhecimentos no local de trabalho.

Outro benefício que o networking traz para o seu negócio é a inspiração. Se cercar de pessoas inspiradoras e criativas – seja online ou offline – nos motiva e desafia a exercitar a nossa própria criatividade. Algo que pode resultar em crescimento pessoal e profissional, já que a criatividade é essencial nos negócios, seja para criar novos produtos, desenvolver ações que envolvam o público, encontrar formas de resolver crises ou até mesmo produzir conteúdos capazes de engajar uma comunidade.

Além disso, a participação de outras pessoas num projeto é o que torna o networking tão importante para microempreendedores. Em muitos casos, microempresas são tocadas por uma equipe pequena ou até mesmo, uma pessoa só. Com uma rede de contatos sólida, o microempreendedor consegue receber e oferecer ajuda a diversos tipos de profissionais, possibilitando uma troca de conhecimentos e informações capazes de gerar crescimento nas empresas e evitar o desgaste de seus líderes.

Agora que você já sabe da importância de ter um bom networking, preparamos 2 dicas infalíveis para te ajudar a manter uma relação bacana com a sua rede. Acompanhe:

  1. Abra-se e crie oportunidades: não tenha receio de participar de encontros, eventos e reuniões quando os convites surgirem. Além disso, ofereça companhia para um colega na hora do cafezinho e promova encontros para reunir a equipe, fazendo com que outras conexões aconteçam.
  2. Não seja pidão: ter ajuda para tocar os negócios é ótimo, mas lembre-se da importância de criar uma relação de troca com as pessoas. Esteja disponível também para colaborar com outros projetos e compartilhar ideias.

A partir dessas duas dicas, fica claro que o networking é muito mais sobre pessoas do que sobre negócios. E a criação e cultivo de uma comunidade pode ser mais desafiadora do que se imagina. Já que é necessário dar atenção para a nossa forma de comunicar, compartilhar e criar com essas pessoas.

E por falar em comunidade, trabalhar em um coworking é uma excelente forma de expandir a sua rede de contatos, principalmente para autônomos, freelancers e microempreendedores. Nos espaços compartilhados de trabalho é comum que profissionais de diferentes áreas interajam e troquem conhecimentos e informações no dia a dia, pois a modalidade permite a criação de uma rede diversificada e sólida, aproximando as pessoas aos poucos, através de uma convivência com foco em produtividade e participação.

Coworkings são pensados especialmente para fazer essa interação acontecer, já que os lugares oferecem tanto salas de reuniões e escritórios privativos, quanto espaços equipados com mesas compartilhadas, facilitando a aproximação entre os profissionais ali presentes.

Por outro lado, apesar de a interação ser possível, não significa que ela acontecerá de maneira rápida e eficiente. Por esse motivo, é fundamental adotar uma postura sociável e seguir alguns passos para encontrar profissionais com visões e objetivos semelhantes.

Primeiro, observe se seus coworkers estão abertos para conversar sobre negócios. Mesmo utilizando espaços compartilhados, algumas pessoas são mais discretas e fechadas que outras, vale a pena ficar atento. Depois, comece puxando assunto e pergunte sobre a trajetória profissional, ofereça um café e apresente o seu negócio, fale sobre a possibilidade de os serviços serem compatíveis. Ser uma pessoa comunicativa e com um bom repertório facilita nessa etapa!

Para sair da mesmice dos cartões de visita e investir em um diferencial, é bacana oferecer materiais úteis da sua marca, como garrafas de água, canetas, adesivos e marca páginas. Além de a sua marca ser vista por várias pessoas, será lembrada pela praticidade e criatividade.

Outro ponto positivo do coworking é a possibilidade de conexão entre freelancers e microempreendedores. Esses profissionais, em muitos casos, optam pelo uso do espaço compartilhado para sair do home office e mostrar profissionalismo para os clientes. Se a sua empresa precisa de um advogado para tratar de burocracias urgentes, de um fotógrafo para atualizar as fotos da empresa ou de um profissional para colaborar com a parte financeira, há uma grande chance de você encontrá-lo em um coworking. E vale lembrar, esteja disposto também a oferecer os seus serviços, a troca é fundamental nessa relação.

Você sabe quem pode ser um microempreendedor?

A lista é extensa: mais de 400 atividades se enquadram como ocupação de um microempreendedor individual. Algumas são derivadas ou possuem ligação com outras, e claro, existem as mais populares e aquelas que poucas pessoas conhecem. As funções vão desde professor particular a artesão de bijuterias, passando por agente de viagens até cuidador de idosos e adestrador de animais. Além disso, muitas dessas atividades podem ser executadas em um ambiente compartilhado, tornando maiores as chances de o profissional fazer parte daquela comunidade, descolar uma rede de contatos e até mesmo novos clientes e fornecedores.

Profissionais como fotógrafo, agente de viagens, editor de vídeo e professores de idiomas são grandes adeptos do coworking. Atividades como essas permitem o uso das mesas compartilhadas, enquanto outras, que exigem uma maior discrição, utilizam as salas privativas para encontrar clientes e até mesmo realizar vídeo-conferências.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Olá, como podemos lhe ajudar?